Faça sua Pré-Inscrição
Nome:
E-mail:
Telefone:
Mensagem:
Enviar
YogaFlow
Receba nossa Newsletter:
Google+
Instagram
Youtube
Twitter
Facebook

Cantinho da Meditação

O YogaFlow agora oferece toda semana aulas gratuita de meditação, às terças-feira, das 19h30 às 20h30 e quartas-feiras, das 20h30 às 21h30. 
Venha aprender a meditar conosco!




30/11/14
A Meditação Muda a Estrutura do Cérebro
   
Você sabia que 30 minutos de meditação por dia em dois meses podem melhorar a composição do seu cérebro?

Todo mundo sabe que a meditação reduz o estresse. Mas agora temos a prova científica de como isso acontece dentro das nossas cabeças.

Uma pesquisa surpreendente feita alguns anos atrás por neurocientistas da Harvard University comprovou que a prática de meditação produz alterações benéficas na estrutura anatômica do cérebro. O estudo reuniu 16 participantes que meditaram meia hora por dia durante 8 semanas. Os pesquisadores tiraram uma série de imagens por ressonância magnética de cada participante no início e no final das 8 semanas. As imagens revelaram duas mudanças significativas:
1. Um aumento de substância cinzenta nas regiões (principalmente no hipocampo) associadas à autoconsciência, compaixão, memória e aprendizagem;
2. Uma redução da substância em regiões (principalmente na amígdala) associadas ao estresse e ansiedade.

Ou seja, a prática diária de meditação fortalece a parte do cérebro que presta atenção, aprende, lembra e empatiza. E diminui a parte que fica estressada.

Segundo o autor, as pessoas que meditam se sentem bem não simplesmente porque estão relaxando; se sentem bem por causa de alterações mensuráveis na estrutura cerebral.

Quer melhorar seu cérebro? Medite!



16/11/14
A Meditação nos Ensina a Observar e não Reagir


Vivemos estressados num mundo de estímulos e respostas. Acontece alguma coisa lá fora, e reagimos, muitas vezes automaticamente. Quando a pessoa querida nos rejeita ficamos tristes. O taxista nos fecha no trânsito, e ficamos com raiva. Lemos no jornal sobre o assalto no restaurante, e temos medo. 
Não somos livres, somos prisioneiros das nossa reações! Vivemos à mercê de estímulos externos, o que nos causa estresse e sofrimento.
A meditação oferece um caminho de saída desta prisão de reatividade. Na meditação, tiramos a atenção dos pensamentos, sensações e sentimentos, e focamos no mantra. Os estímulos continuam, mas a nossa atenção não se apega mais a eles. Com a prática, entramos em contato com um "eu" profundo que não reage, apenas é. Aprendemos a observar os pensamentos, sensações, sentimentos e outros estímulos sem nos apegar a eles.
Treinando a mente a não reagir e apegar-se ao que acontece lá fora, a meditação alivia o estresse, ameniza o sofrimento e nos traz uma sensação de liberdade, a liberdade de escolha. Entendemos que podemos escolher não reagir aos estímulos. Vemos que a nossa experiência nesta vida, nossa capacidade de sentir felicidade, amor, plenitude e paz, depende não de estímulos externos e sim da nossa atitude perante eles.



9/
11/14
A Meditação Treina a Mente a ser Mais Produtiva

Smartphones, tablets, apps, email, chat, skype, google, whatsapp, facebook, instagram, etc. ... uma maravilha ter tanta informação e comunicação ao toque de um dedo! Posso tomar café no Starbucks, checar meus emails, ligar para o escritório, entrar num chat com a namorada, postar uma piada no face, e escutar minha banda preferida, tudo ao mesmo tempo. Posso ser mais eficiente e produtivo que nunca!
Só que ... os estudos mostram que "multitarefar" é bem menos produtivo e causa mais erros que focar em apenas uma atividade de cada vez.  Ou seja, se queremos ser produtivos e eficientes, precisamos ter a mente clara e limpa e nos concentrar numa tarefa só.
Essa clareza e concentração é justamente um dos benefícios da prática de meditação. Na meditação, retraímos os sentidos da influência das distrações externas. Paramos de prestar atenção nessa enxurrada de informações que bombardeia a nossa mente a toda hora. Em sânscrito isso se chama pratyahara.
Ao mesmo tempo, focamos a mente em um ponto só, como por exemplo, um mantra, a nossa respiração, uma imagem mental. Isso se chama dharana.
Com a prática dessas duas técnicas, pratyahara e dharana, aprendemos a não nos apegar a tanta informação
e focar no que é importante no momento presente. Desse jeito, a meditação ensina a mente a ser mais clara e limpa, calma e focada, e, como consequência, bem mais produtiva.
Dê um tempo na multitarefa e medite!


19/10/14
A Importância do Asana na Meditação


A palavra "asana" em sânscrito significa assento. No Hatha Yoga, este assento refere-se às posturas praticadas nas aulas, mas na meditação, o asana é literalmente a postura de sentar.
O texto Yoga Sutras de Patanjali, escrito há mais de 2.000 anos, menciona o asana somente uma vez, quando diz: "Sthira sukham asanam" ("O assento deve ser firme e prazeroso"). "Sthira" tem a mesma raiz indo-europeia que é a palavra "estável"; "Sukkha", por outro lado, embora não tenha nada a ver com açúcar, quer dizer que o asana deve ter doçura, conforto.
Na prática de meditação essa frase de Patanjali significa que quando você se senta para meditar, seu corpo deve ficar firme e estável e, ao mesmo tempo, sentir conforto e prazer. Sem estabilidade no assento, não tem como atingir estabilidade e tranquilidade na mente; e, sem conforto, não tem como meditar porque o desconforto ficará sempre invadindo a consciência. Não tem meditação se os joelhos estão gritando de dor!
Por isso, quando for se sentar para meditar, passe alguns minutos ajustando seu assento. A melhor postura é sentar no chão de pernas cruzadas em cima de uma almofada em forma de croissant, que eleva a pelve ao mesmo tempo dando suporte às coxas. Mas se sentar no chão não for confortável, é perfeitamente aceitável sentar numa cadeira para meditar. O importante é sempre o sthira e o sukkha, o conforto e a estabilidade.


12/10/14
"A Mente Mente!" - Será que é Verdade?


Muitas pessoas que estão no caminho espiritual falam da mente como se fosse o inimigo; apontam a segunda frase dos Yoga Sutras de Patanjali, que diz: "Yoga Chitta Vritti Nirodha", normalmente traduzida como: "Yoga é a cessação (nirodha) das flutuações (vritti) da mente (chitta)".
Os vrittis ("turbilhões") são aqueles pensamentos que ocupam a nossa consciência o tempo todo, e que nos distraem na aula de yoga e atrapalham a meditação. Mas pensar não é ruim! A mente foi criada para pensar e é extremamente importante para a nossa sobrevivência.
O problema não são os pensamentos, mas sim nosso apego a eles. Nós nos identificamos com a nossa mente, achando que somos ela. Somos a nossa mente sim, mas somos muito mais do que ela! Portanto, uma interpretação mais sofisticada desse segundo sutra ("fio") do Patanjali seria: "Yoga é a cessação da identificação com as flutuações da mente".
Na hora da meditação, quando sua mente não para de pular como um macaco de galho em galho, faça o seguinte: visualize-se como o oceano e os pensamentos como ondas passageiras que correm pela superfície. Quando o pensamento vier, não se agarre e nem lute contra ele, simplesmente, deixe-o fluir tranquilamente, saindo da sua consciência como uma onda no mar.



5/10/14
O Que a Meditação Tem a Ver com Yoga?


A palavra "yoga" vem da mesma raiz indo-europeia de 5.000 anos atrás que é a palavra "junto".  Nesse sentido, o yoga une o princípio individual do "eu pequeno" (meu corpo, minha mente) com o princípio universal do "Eu Maior".  Esse Eu Maior tem diversos nomes: Deus, amor, consciência pura. Em termos da física, é o fluxo de energia que compõe toda a matéria no universo.
Existem vários caminhos nessa junção do yoga, tal como Bhakti, (devoção), Karma (serviço, ação) e Jnana (conhecimento). O caminho seguido pela maioria no Ocidente é o Hatha Yoga, que compreende, principalmente, em Asanas (posturas e movimentos corporais) e Pranayama (exercícios de respiração).  Essas práticas trazem inúmeros benefícios físicos e mentais, porém, segundo os textos clássicos, elas representam apenas a entrada da refeição;  o prato principal é a meditação.  De fato, as posturas de Vinyasa, Iyengar, Ashtanga e outros estilos de Hatha Yoga que praticamos no YogaFlow preparam o corpo e a mente para sentarmos de forma confortável e tranquila em meditação.
E é através da meditação que descobrimos que somos muito mais do que nosso corpo, emoções, sensações e ideias.  Conhecemos a nossa essência, o verdadeiro eu.

                                                                                  
                                                                                                           Charlie Barnett
                                                                               Diretor e Professor das Aulas de Meditação no YogaFlow



 
Rua Dina, 100 - Vila Nova Conceição - (11) 3849 6857
Rua Aspicuelta, 339 - Vila Madalena - (11) 3567 1381/1382
São Paulo/SP | Brasil
www.yogaflow.com.br
Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Link e Cérebro